Visitantes Negócios Associações e Imprensa
Blog Instagram Facebook Twitter

Notícias


Demanda global de passageiros caiu 91,3% em maio

Demanda global de passageiros caiu 91,3% em maio

Publicado em: 03/07/2020

A demanda global de passageiros da aviação comercial caiu 91,3% em maio, na comparação com o mesmo mês do ano passado, de acordo com dados da Associação Internacional de Transporte Aéreo (Iata). O resultado é um pouco melhor que a queda anual de 94% registrada em abril de 2020, mas ainda bem acentuada com relação aos números pré-pandemia da Covid-19. A melhoria, no entanto, se deve à retomada de alguns mercados domésticos, principalmente na China.

“Maio não foi tão terrível quanto abril. É a melhor coisa que podemos dizer nesse momento. Conforme previsto, as primeiras melhorias na demanda de passageiros estão ocorrendo nos mercados domésticos. O tráfego internacional continuou praticamente parado em maio. Estamos apenas no início de uma recuperação longa e difícil. E existe uma grande incerteza quanto a uma nova onda de casos da Covid-19 poderia ter em mercados importantes”, disse Alexandre de Juniac, CEO da Iata.

A demanda internacional de passageiros teve queda de 98,3% em maio de 2020 em relação ao mesmo período de 2019, praticamente sem mudança se comparada à queda de 98,4% registrada em abril. A oferta de assentos despencou 95,3% e a taxa de ocupação caiu 51,9 pontos percentuais, atingindo 28,6%. Isso quer dizer que, em média, um pouco mais de um quarto dos assentos foram ocupados.

Na América Latina, as companhias aéreas da América Latina apresentaram queda de 98,1% na demanda de maio em relação a maio de 2019, contra uma queda de 98,2% registrada em abril. A oferta de assentos caiu 96,6% e a taxa de ocupação caiu 38,1 pontos percentuais, atingindo 45,9%, a melhor entre as regiões. No Brasil, a queda foi de 91,1% na demanda e de 89,8% na oferta. O País ainda registrou um queda de 10,5% na ocupação.

Outras regiões

As companhias aéreas da Europa apresentaram queda de 98,7% na demanda de maio em relação a maio de 2019, praticamente sem alteração se comprada à queda de 98,9% registrada em abril, a pior entre todas as regiões. A oferta de assentos caiu 97,5% e a taxa de ocupação caiu 41,7 pontos percentuais, atingindo 42,4%.

As companhias aéreas da região Ásia-Pacífico apresentaram queda de 98,0% no tráfego de maio em relação ao mesmo período do ano passado, também próxima à queda de 98,2% registrada em abril. A oferta de assentos caiu 95,1% e a taxa de ocupação caiu 46,6 pontos percentuais, atingindo 32,1%.

 

As companhias aéreas da América do Norte apresentaram queda de 98,2% no tráfego em maio

As companhias aéreas do Oriente Médio apresentaram queda de 98% no tráfego de maio, pouco acima da queda de 97,3% na demanda de abril. A oferta de assentos caiu 93,9% e a taxa de ocupação teve queda de 49,1 pontos percentuais, atingindo 23,9%, em relação ao mesmo período do ano passado.

As companhias aéreas da América do Norte apresentaram queda de 98,2% no tráfego em maio, uma pequena melhoria em relação à queda de 98,4% em abril. A oferta de assentos caiu 94,5% e a taxa de ocupação caiu 56,7 pontos percentuais, atingindo 27,2%.

As companhias aéreas da África apresentaram queda de 98,2% em maio, índice pouco melhor em relação à queda de 98,7% registrada em abril. A oferta de assentos caiu 77,8%, a menor queda entre as regiões, e a taxa de ocupação caiu 61,8 pontos percentuais, atingindo 5,3% de assentos ocupados, a taxa mais baixa entre as regiões.

Doméstico

Tráfego doméstico de passageiro por mercados (Divulgação)

O tráfego doméstico caiu 79,2% em maio. Contudo, esse resultado foi melhor que a queda de 86,2% registrada em abril. A oferta de assentos do tráfego doméstico caiu 69,2% e a taxa de ocupação caiu 27,2 pontos percentuais, atingindo 56,9%.

Fonte: Mercado e Eventos